Pular para o conteúdo
Estado selecionado: SPTrocar estado
Máquinas de Sorvete com bomba ou sem bomba? Entenda de uma vez por todas a diferença!
fevereiro 10, 2021

Máquinas de Sorvete com bomba ou sem bomba? Entenda de uma vez por todas a diferença! Pensando em abrir uma sorveteria ou incrementar as vendas, mas ainda tem dúvidas de como escolher o equipamento? Neste caso você vai se deparar com a dúvida de qual escolher: máquinas de Sorvete com bomba ou sem bomba? 

Muito se fala sobre essa comparação, mas qual será a verdade?  Ao entrar nesse ramo, você passará a lidar com termos como overrun,  tipos de mix/bases e de produtos, além de máquinas com ou sem bomba de ar para fazer suas sobremesas geladas.  

Não existe resposta certa ou errada neste caso. Cada equipamento tem suas características – o que vai determinar sua escolha é o tipo de produto que você deseja oferecer aos seus clientes.  

Vender sorvete é uma ótima ideia – e você pode começar já! Por isso saiba mais sobre as principais diferenças entre a máquina de sorvete com bomba ou sem bomba e entenda qual é a melhor opção com a ajuda das dicas e informações que você vai encontrar a seguir. 

Qual é a diferença básica entre máquina de sorvete com bomba ou sem bomba? 

Sabemos que o sorvete pode sofrer com a sazonalidade, porém estando preparado, é possível vender sobremesas geladas o ano inteiro! Então é preciso saber escolher a máquina certa para o seu negócio, que vai acompanhar esse ritmo por mais tempo. 

O primeiro passo para entender a diferença entre os dois tipos de equipamentos é entender que o Sorvete Soft é o resultado da mistura do mix (base de sorvete) com o Ar. 

A máquina com bomba (como a da imagem que abre este artigo, modelo Taylor C712) possui um reservatório de mix refrigerado – também conhecido como cuba refrigerada – onde fica armazenada o mix (base do sorvete), que é levada do reservatório ao cilindro de congelamento através de uma bomba de ar. Já uma máquina sem bomba de ar usará a gravidade para realizar esse mesmo processo. 

“Certo – mas como isso funciona no dia a dia?” – você deve estar se perguntando. Entenda as diferenças entre uma máquina de sorvete com bomba e sem bomba na prática através dos tópicos a seguir (isso será vital para definir sua escolha). 

Incorporação de Ar 

Quanto a incorporação de ar, já se sabe que as Máquinas com Bomba incorporam o Ar no produto através de uma bomba e nas Máquinas sem bomba este processo é realizado através da gravidade, portanto, as Máquinas com Bomba podem incorporar uma porcentagem de ar (o famoso Overrun) superior ao de uma Máquina sem Bomba. 

  • Máquinas Com Bomba de Ar: pode-se chegar a valores superiores a 60% de Overrun, o que significa que a mistura final do produto possui 60% de Ar e 40% de mix. 
  • Máquinas Sem Bomba de Ar: pode-se chegar a valores superiores a 40% de Overrun, significando que a mistura final do produto possui 40% de Ar e 60% de mix. 

Porém, vale se atentar que a máquina não é a única influenciadora no cálculo do Overrun, aspectos como a manutenção preventiva e a receita do mix para produção do produto soft impactam diretamente nesses valores de cálculo. 

Máquinas de Sorvete com bomba ou sem bomba? Custos: 

Ao falar em custos, podemos sim dizer que existe uma diferença de investimento para cada um dos equipamentos.  

Comparando modelos semelhantes, que se diferenciam basicamente pela presença da bomba, obviamente, a que possui a bomba de ar acaba tendo um valor de investimento um pouco maior devido à tecnologia de incorporação de ar que é agregada à máquina. 

Mas quando falamos em máquina de sorvete, a palavra que vem à cabeça é “rentabilidade”, isso devido às altas taxas de retorno de investimento que as sobremesas derivadas do produto soft oferecem.  

Considerando somente os custos da matéria prima, temos abaixo alguns exemplos calculados pela Equipe de Marketing da Top Taylor referente às médias de retorno de investimento para diferentes sobremesas originárias do produto Soft: 

  • Sorvete de Casquinha    -> 300% de lucro* 
  • Sundae                           -> 400% de lucro* 
  • Milkshake                       -> 600% de lucro* 

*Os valores apresentados podem sofrer variações 

Uma outra questão é: “O custo para fabricação dos produtos finais gerados por ambas máquinas são os mesmos?” A resposta é não 

Reforçamos que o Sorvete Soft é o resultado da mistura do mix (base) com Ar e, no caso dos equipamentos com bomba de ar, é possível atingir porcentagens de incorporação de ar no mix (o cálculo de Overrun) superiores às dos equipamentos sem bomba – e como não pagamos pelo ar, o custo de produção do produto acaba sendo um pouco inferior. 

Volume de produção 

Quando falamos em Volume de Produção, uma métrica bastante utilizada para sua medição é o valor de impacto do equipamento. 

valor de impacto consiste na quantidade de porções de 100g de produto (valor aproximado de sorvete em uma casquinha) que podem ser extraídas sequencialmente de um dos bicos de extração da máquina sem que se perda a temperatura e a consistência ideal para consumo do produto. 

Ao comparar os modelos apresentados neste artigo, a máquina com bomba sempre acaba tendo um valor de impacto superior. Porém falando de equipamentos Taylor, sabemos que ambas possuem alta produção, como é o caso das máquinas C722 e C723, dois modelos de balcão que se diferenciam basicamente pela presença da bomba. 

  • A Taylor C722 (c/ bomba) possui Impacto de 30 porções de 100g* 
  • A Taylor C723 (s/ bomba) possui Impacto de 25 porções de 100g* 

Isso significa que, se em sua operação você precisasse retirar 25 ou 30 casquinhas sequencialmente (tudo de uma vez só), a qualidade extraída da primeira casquinha se manteria até a última. 

Lembrando que estes valores são para porções sequenciais, ou seja, ao medir o impacto o intervalo entre as retiradas é mínimo (quase nulo). E como uma operação normal apresenta intervalos de retirada maiores do que nesse teste, a demanda que estes equipamentos conseguem atender, sem interferir na qualidade do produto, pode ser ainda maior! 

Por isso, um ponto muito importante ao adquirir uma máquina de Sorvete é verificar qual o seu valor de impacto, pois na venda de sorvetes existem picos de consumo ao longo do dia. Dessa forma, centraliza-se a demanda em períodos específicos, o que reforça a necessidade de ter um equipamento que dê conta destas demandas centralizadas. 

Consistência do Produto 

A consistência desejada do produto, com certeza, é um dos fatores mais importantes na hora da escolha do equipamento 

Como já sabemos que a incorporação de ar nas máquinas com bomba atinge porcentagens maiores que as das máquinas por gravidade, conseguimos tirar algumas conclusões sobre a consistência do produto final de cada uma: 

  • No Equipamento com bomba é incorporado mais ar que mix no produto, dessa forma, fatalmente sua consistência será mais leve e aerada e isso impacta diretamente no sabor do produto, que por sua menor concentração de base de sorvete acaba sendo um sabor mais suave; 
  • No Equipamento sem bomba, com maior proporção de mix do que de ar, a concentração da base de sorvete é maior. Assim sendo, o resultado é um sorvete um pouco mais consistente com um gosto mais presente do sabor do mix, sendo menos aerado, podendo chegar a consistências mais cremosas. 

Sendo assim, é preciso considerar o perfil do seu público e o tipo de produto que é mais atrativo para eles antes de optar por uma máquina de sorvete com bomba ou sem bomba – afinal, os responsáveis pelo sucesso de qualquer negócio são os clientes. 

Máquinas de Sorvete com bomba ou sem bomba? Tipos de produtos: 

A Incorporação de Ar e a Consistência, temas abordados acima, também influenciam diretamente no tipo de produto que você pretende trabalhar – e na escolha entre uma máquina de sorvete com bomba ou sem bomba. 

Isso porque as Máquinas de Soft podem trabalhar com diferentes produtos, como por exemplo, Açaí, Cupuaçu, Iogurte e o próprio sorvete, todos neste formato Soft. Cada um destes produtos envolve um tipo de mix a ser utilizado em sua produção e tem suas próprias características físicas, para saber qual máquina irá atender o produto que você gostaria de produzir é muito simples: 

  • Para produtos com consistência mais espessa, como o caso do açaí, cupuaçu e o Iogurte se faz necessária a utilização de uma Máquina Sem Bomba, isso porque o produto mais denso e viscoso pode não passar no orifício da Bomba em uma Máquina de incorporação de ar por bomba; 
  • Já o sorvete soft pode ser produzido em ambas as máquinas, a diferença será mais para o resultado final desejado do produto. 

Por isso, definir o produto que você irá trabalhar antes, é fundamental para fazer a escolha correta do equipamento! 

Sabor 

O gosto é o fator decisivo final para determinar se você deve adquirir uma máquina de sorvete com bomba ou sem bomba.  

Um equipamento sem bomba definitivamente proporciona produtos com um sabor mais intenso, pois há maior concentração do produto mix e menos ar sendo adicionado à mistura. 

Já uma máquina de incorporação de ar por bomba, o sabor atingido tende a ser mais leve e suave podendo não ser tão marcante como o da máquina sem bomba. 

Entretanto, no tópico sabor, além do aspecto que a máquina pode atingir nada afetará mais que a sua receita de mix, então buscar referências e fazer testes com a sua receita é essencial para chegar ao sabor desejado. 

 

Se você precisar de mais informações sobre máquinas de sorvete, entre em com a Top Taylor e acompanhe as novas tendências do mercado de food service 

Nossos especialistas estão sempre prontos para resolver qualquer problema ou dúvida que você possa ter. 

CLIQUE AQUI E CONVERSE JÁ COM OS ESPECIALISTAS TOP TAYLOR!